sábado, 24 de maio de 2008

AO LUAR


Nada como levitar...
Encher-se de carinho.
Nada como estar pertinho
Entoar cânticos de amar
Bem baixinho, voar...
Sobrevoar como passarinho.
Nada como viver juntinho,
Sempre ter de vislumbrar.
Querer muito um ninho,
Pra depois se amar...
Ocupar-se bem quentinho
A natureza da alma ao olhar,
E ver o luar aparecer.
Pratear o querer...
Nada como ter
De sentir da calma de sonhar
De viver de se amar.

5 comentários:

Sunshine disse...

Olá Estrelinha.

Venho desejar-te um bom fim de semana, pena que não o faça como o teu, tão lindo, mas não sei como o fazer, um dia ainda me ensinas ;).

É lindo esse teu post, sentido e doce ... Ao Luar ...

Menina do Rio disse...

Lindos dizeres! O luar sempre a envolver-nos com seus encantos!

Querida amiga, só hoje descobri pq não consigo comentar-te. É que uso o Firefox e tua janela de coment só abre pelo Internet Explorer.

Deixo-te um beijinho e votos de um final de semana muito feliz

Olhos de mel disse...

Oie linda, que doce poema! Nada como ter, sentir a amar...
Bom domingo! Beijos

FERNANDA & POEMAS disse...

Olá querida Estrelinha, belo poema, com uma beleza de tocar o coração... Beijinhos de carinho,
Fernandinha

DelfimPeixoto disse...

Nada mesmo
jnhs

**A MINHA MÚSICA**



ñ